Webmail
Search

Testemunhos de atletas cristãos após o Super Bowl repercutem na mídia internacional; Confira

Testemunhos de atletas cristãos após o Super Bowl repercutem na mídia internacional; Confira

O Super Bowl 51, realizado no último domingo, 05 de fevereiro, gerou grande repercussão no Brasil, afinal o interesse pelo futebol americano no país vem crescendo. A partida, que terminou com uma virada espetacular do New England Patriots sobre o Atlanta Falcons, serviu para que atletas cristãos expressassem sua fé cristã na mídia norte-americana.

Estudos realizados nas redes sociais durante a realização do Super Bowl – que é transmitido apenas por canais de TV por assinatura – mostram que o Brasil foi o quarto país com maior engajamento de internautas. O interesse chamou a atenção inclusive da TV Globo, que exibiu matéria sobre o jogo no Jornal Nacional, destacando que o “craque” da partida é marido da modelo Gisele Bündchen.

+”Jesus é melhor que qualquer coisa”, diz atleta vencedor do Super Bowl

O portal Christian Post reuniu depoimento de seis atletas, dos dois times, sobre o que pensam a respeito da importância da fé em sua profissão. E as respostas dos jogadores mostram que o relacionamento com Deus é algo essencial para eles. Confira:

Vic Beasley Jr., 24 anos
Defensive, 24 anos, Falcons

Criado em um lar cristão, Vic estreitou seu relacionamento com Deus já na vida adulta. Um amigo de infância do atleta, Nigel Curtis, falou sobre o envolvimento de ambos com a fé: “Vic sempre diz para si mesmo que, de tudo o que aconteceu em sua vida, nada poderia acontecer se não fosse por Jesus Cristo”, revelou o amigo.

“Meus avós deixaram claro para mim que a gente sempre estaria na igreja aos domingos e no estudo da Bíblia, às quartas-feiras”, relembrou Nigel, de acordo com o jornal Marietta Daily.

Matt Slater
Wide Receiver, 31 anos, Patriots

“É muito difícil encarar o dia sem olhar para a Palavra de Deus. Isso faz eu ter uma direção para o meu dia e para a forma como vou interagir com as pessoas”, disse o jogador, em um vídeo feito para o app de Bíblia YouVersion.

Antes de Super Bowl 51, Matt recebeu o prêmio Bart Starr, por ser considerado pelos colegas de profissão como alguém de caráter exemplar fora do campo. “Isso é muito emocionante para mim. Eu realmente valorizo ​​o elemento humano do futebol [americano], valorizo os relacionamentos que fiz com as pessoas ao longo dos anos. Tudo isso decorre da fé que tenho em Deus e da maneira como fui criado pelos meus pais”, disse, segundo informações da ESPN.

Devin McCourty
Defensive Back, 29 anos, Patriots

“Me esforço para estar enraizado na Palavra de Deus. Minha fé cristã me dá uma grande base para minhas decisões diárias. O fato de eu jogar na NFL ou num Super Bowl não deve me definir como pessoa”, disse ele ao Baptist Press. “Eu realmente não acho que o que fazemos em jogo define quem somos. É uma bênção, é uma grande oportunidade, mas devemos aproveitar sabendo quem somos como pessoa”, destacou.

Recentemente, durante um debate entre os jogadores sobre a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais, Devin sugeriu que todos orassem pelo país e confiassem em Deus: “Nós apenas temos que orar pela liderança do nosso país, concordando com ela ou não. Orem, esperem que tudo fique bem e acreditem em Deus”, disse, durante uma entrevista coletiva.

Nate Solder
Offensive Tackle, 28 anos, Patriots

O testemunho de fé deste atleta vem de fora dos campos. Em 2015, seu filho, com apenas seis meses de idade, foi diagnosticado com tumor. Para enfrentar o obstáculo, encontrou suporte em Deus: “A força não vem de mim. Temos sido fortalecidos por nossa família, nossa comunidade e nossa fé em Cristo”, afirmou à época ao canal WCVB.

Vitorioso profissionalmente, Nate diz que as coisas mais importantes de sua vida estão fora das quatro linhas: “Este ano temos vivido uma mudança de perspectiva. Muitas famílias são colocadas em circunstâncias difíceis e estão em leitos de hospitais. Esse jogo pode ser importante, mas não é a parte mais essencial da vida”.

Jacob Tamme
Tight End, 31 anos, Falcons


Numa entrevista à Sociedade de Atletas Cristãos, em 2013, o atleta afirmou que seu sucesso profissional serve apenas para glorificar a Deus e revelou que pede a Jesus que o acompanhe durante as partidas.

“Eu sempre oro para que eu jogue na plenitude de Seu Espírito, com o objetivo de render glória a Ele”, disse Tamme, que medita sempre no versículo 28 de Romanos 8. “É uma promessa incrível e essencial para meditarmos nos momentos em que sentimos que as coisas não estão indo bem no nosso caminho”, disse.

Julio Jones
Wide Receiver, 27 anos, Falcons


Em 2015, quando um terrorista entrou na Igreja Metodista Episcopal Emmanuel, em Charleston, Carolina do Sul, Julio atuou de forma a prestar apoio aos familiares das nove vítimas fatais, e também aos demais membros da comunidade.

“Foi uma espécie de experiência nacional que todo mundo passou”, disse ele em entrevista à ESPN. “Isso poderia ter acontecido em qualquer lugar. Isso poderia ter acontecido onde eu moro, no Alabama. Você só tem que mostrar às pessoas que você está aqui para elas, para dar apoio”, acrescentou. Nas redes sociais, seu perfil o descreve como um “jovem cristão”, e muitas das mensagens que publica são de encorajamento à fé.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *