OS CRISTÃOS E A POLÍTICA BRASILEIRA

OS CRISTÃOS E A POLÍTICA BRASILEIRA

 

Queridos irmãos em Cristo por todo o Brasil, estou escrevendo esta mensagem como forma de buscar dar uma orientação ao grande povo de Deus, sobre o que estamos vivendo hoje em nosso país.

Não podemos, e não devemos tapar nossos olhos para a crise institucionalizada em todo território nacional, demonstrada através das ações que estão sendo implementadas nos últimos anos.

Estamos vivendo um verdadeiro caos da moral e da ética entre os políticos brasileiros, pessoas que foram tiradas do povo, para tornarem-se representantes deste mesmo povo.

A Bíblia nos diz algumas questões que julgo serem importantes de conhecermos, como por exemplo, o texto do profeta Isaías em seu capítulo 10, versículos 1 e 2 que diz: Ai dos que decretam leis injustas, e dos escrivães que prescrevem opressão. Para desviarem os pobres do seu direito, e para arrebatarem o direito dos aflitos do meu povo; para despojarem as viúvas e roubarem os órfãos!” Ao analisarmos estes escritos, vemos Deus e sua atenção àqueles que são Seus, daqueles que são Seu povo, daqueles que Ele criou e chamou “coroa da criação”. Vemos Deus preocupado em defender e socorrer os Seus quando são oprimidos.

A mesma bíblia diz ainda através do Apóstolo Paulo, sobre as posturas dos cristãos naquilo que se refere aos que estão em posição de governo, ele é taxativo em falar que: “… Recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens; pelos reis e por todos que exercem autoridade(I Timóteo 2:1-2).

Recai sobre nós, o povo de Deus, a missão de ser representantes do Reino de Deus na terra, como lemos em II Coríntios 5:20, que diz “De sorte que somos embaixadores de Cristo…”, não permitindo que o pecado impere, que a moral seja destruída, e que a ética se perca em virtude da maldade e da ganância.

Somos responsáveis em promovermos o Reino de Deus em nossa terra, demonstrando que o País será e pode ser melhor, quando aprender a viver os valores do Reino de Nosso Senhor. Não digo tornar-se evangélico, mas sim, assumir um compromisso de responsabilidade e valores que promovam a paz, e a bênção de nós os brasileiros, com leis que sejam justas e tragam felicidade e não tormenta.

Precisamos nos posicionar contrário ao pecado que assola a integridade de nosso povo.

Não podemos permitir que ações contrárias à vontade de Deus sejam consideradas ideais para o ser humano.

Quando escolhemos entregar nossas vidas a Jesus Cristo, o qual se tornou Senhor e Salvador de cada um de nós, decidimos nos colocar como embaixador em defesa do Reino de Deus entre nós quer seja no campo físico, natural, espiritual, moral e ético. Isto implica em atitudes que promovam a grandeza de Deus e de Seus valores e virtudes.

A política havia sendo tratada pelos religiosos como obra que não deveria ser discutida entre os servos de Deus, por sua corrupção, e pelo fato do estado ser laico de não envolvimento com a religião, permitindo o livre uso e prática das doutrinas religiosas de cada igreja.

Falava-se entre os religiosos que religião e estado não se misturam. Sim, concordo com a afirmação, o que não poderia deixar de apontar aqui, que devemos lembrar a realidade de nossa existência como embaixadores de Cristo, mas, moradores ainda, do reino terrestre.

Partindo dessa ideia, ser cônscio da necessidade de zelar por propostas que sejam satisfatórias a todos os homens, tendo o respeito à dignidade humana, sua liberdade e seus direitos.

Somos nós, aqueles que devemos em nome de Cristo, promover tais valores, e buscar sua manutenção.

Jesus institui o Seu Reino entre nós, buscando conceder ao menos favorecido, favores; ao excluído, inclusão; ao doente, saúde; ao carente, aconchego; enfim, como cristãos, somos corresponsáveis.

Convido você querido irmão deste Brasil, e do mundo, a cumprir o papel bíblico de ser canal da Graça e Ação de Deus.

Proporcionar restauração da moral e da ética denunciando e combatendo o pecado, limpando as instituições de sua imundícia maculadora, mas, sobretudo, glorificar ao Deus vivo, inclusive no exercício da política.

Sim, permaneceremos separados, pois Igreja não é palanque político, e sim local da manifestação da Graça de Deus, e nem tão pouco política, é púlpito de igreja, mas, o Estado deve permanecer laico em respeito às religiões, promovendo ações que se esperam dele. Ações que gerem resultados felizes aos cidadãos livres, de um estado livre, que preza e pensa em todos os seus.

Não permaneça alheio aos fatos, nem se isente deles, mas se posicione e contribua para que Deus seja o Senhor desta nação, onde possamos ser livres em nossas opiniões, que mesmo sendo divergentes, precisam ser respeitadas, assim prevalecendo à democracia e a Graça de Deus.

Somos cristãos, mas também somos brasileiros.

Ame a Deus sobre todas as coisas e promova a Sua Graça entre todos.

 

Pr. Bruno de Melo Souza

 




One thought on “OS CRISTÃOS E A POLÍTICA BRASILEIRA

  1. Welington Veiga

    Pastor, o texto é excelente e um importante recado para nós cristãos em um momento tão complexo como o que estamos vivendo. Obrigado.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *