A generosidade responde o clamor das nações.

A generosidade responde o clamor das nações.

Texto: Gálatas 6:1-7

Introdução

 

Deus tem nos dado a oportunidade de construir princípios e valores na sociedade através da pregação do evangelho transformador nos foi dado em Cristo. O princípio da generosidade é um deles. Esta construção nos ajuda a desenvolver conceitos práticos para uma vida relacional no contexto do Reino de Deus. Temos visto que Deus sempre foi um semeador entusiasta em todo o seu projeto. Ele Semeou de Si mesmo plantando de Sua essência em tudo o que criou. Também gerou filhos igualmente repletos desta potencialidade para semearem todas as virtudes e valores de seu Reino nesta terra. Muitos dos valores desta semeadura já temos vivido ao longo do tempo. Somos uma igreja que capacita, celebra a unidade, evangeliza, estuda a bíblia, celebra a família e, agora, se solidariza.  Somos capazes de semear a solidariedade para restauração de vidas com Deus e com o próximo. Todos os dias somos desafiados a esta prática. 

O texto de Gálatas 6 traz um conteúdo extremamente prático para nos ajudar a promover no Reino o valor desta semeadura através da mansidão, do auxílio, do auto-exame, e do compartilhar a vontade de Deus através da Sua Palavra Santa.

 

No livro de discipulado “Segue-me”, o autor Ralph Neighbour descreve dois dons que uma pessoa convertida recebe imediatamente após aceitar Cristo como salvador. São eles os dons de Servir e Doar. Estes dons ajudam cada crente em Cristo a realizar sua função dentro da Igreja. Ambos fazem parte de um contexto essencial no Reino de Deus – Ajudar, sustentar, amparar e dar suporte às necessidades dos membros do corpo de Cristo e carentes de forma geral.

 

É tempo de praticar o caráter solidário (6.2,3) “Levem os fardos pesados uns dos outros e, assim, cumpram a lei de Cristo. Se alguém se considera alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo.”

 

Ser solidário é praticar as virtudes da “bondade”, “caridade”, da “vida humana”, é “se compadecer. ” Praticar a solidariedade é estender a mão de Deus ao próximo em nossa instrumentalidade. Somos chamados a semear esta virtude na vida das pessoas. O apostolo Paulo teve uma sensibilidade tão apurada sobre esta virtude que nos disse no (v.2) “o levar os fardos pesados uns dos outros…” como o cumprimento da lei de Cristo, ou seja, do mandamento que o Senhor partilhou com seus discípulos – “Um novo mandamento lhes dou: amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros” (Jo 13.34).

 

Qual a forma prática mais evidente de demonstrar o mandamento do amor ensinado por Jesus? Praticando uma vida solidária. Ora, estamos alicerçados sobre uma divisa bíblica que começa de forma intensa para uma ação contínua – “Não cansem de fazer o bem”. Práticas de solidariedade devem partir de um coração cheio de Deus, e não de interesse como barganha nas coisas de Deus; elas refletem a essência do amor de Deus em sua vida.  Deve-se entender o que são – “fardos pesados? ” Existe uma duplicidade de ideias sobre esta expressão. Pode significar passar um constrangimento pela longa falta de provisão, por enfermidades constantes ou desajustes relacionais em perseguição religiosa. Todos são aplicáveis. Mas, nosso foco é como suprir estas questões na prática da solidariedade.

F.T.: A generosidade responde o clamor das nações quando…

  1. I) suprimos as carências emocionais do nosso próximo.

Quando partilhamos da esperança e do cuidado de Deus na vida das pessoas mostrando que Ele não está indiferente à dor, ao sofrimento e às tristezas delas, proporcionamos às pessoas o poder restaurador de Deus – (Sl 42.11). Doe este amor de Cristo a elas apresentando o Seu evangelho da graça. “A fé vem pelo ouvir a mensagem de Cristo” (Rm 10.17).

 

F.T.: A generosidade responde o clamor das nações quando…

  1. II) suprimos as carências sociais do nosso próximo.

Em 2 Cor 8.1-5, Paulo incentivou as igrejas da Macedônia a serem generosos na arrecadação para ajudarem os cristãos necessitados em Jerusalém. Fazer o bem praticando boas obras não lhe garantirá a salvação, mas demonstrará o quanto você está disposto a amar o seu próximo. Lembre-se: Somos as mãos de Deus obedecendo a lei do amor de Cristo.

 

F.T.: A generosidade responde o clamor das nações quando…

III) somos fiéis nos dízimos.

Embora o dízimo seja um dos elementos do culto a Deus, ele também se cumpre no papel da solidariedade. É pelo dízimo que sustentamos a obra de Deus e damos continuidade a todo o projeto da igreja: Sustentamos aqueles que trabalham no evangelho, sustentamos as missões locais, estaduais, nacionais e mundiais, suprimos os necessitados socialmente e amparamos as famílias na igreja – “Tragam o dízimo ao templo para que haja mantimento em minha casa” (Ml 3.10); “Contribua segundo propôs o coração” (2 Cor 9.7). Ser fiel é praticar a solidariedade como discípulos obedientes.

 

F.T.: A generosidade responde o clamor das nações quando…

  1. IV) apresentamos o plano da salvação.

A solidariedade pode ser praticada quando também ofertamos gratuitamente o evangelho da graça às pessoas. A maior riqueza em ação de bondade que uma pessoa pode receber está no fato de ser abençoado com a Palavra da Salvação – (At 3.19; Ef 2.8…)

Você tem sido solidário neste aspecto com sua família? Seus vizinhos? Amigos de trabalho, da escola, enfim, em suas oportunidades relacionais?

 

Ilustração

 

Bryan seguia por uma estrada no meio de um grande nevoeiro, ele quase não viu a senhora com o carro parado no acostamento, mas percebeu que ela precisava de ajuda. Assim, parou o seu carro e se aproximou.

O carro dela cheirava à tinta de tão novinho.

Mesmo com o sorriso que ele estampava na face, ela ficou preocupada. Ninguém tinha parado para ajudar durante a última hora.

Ele iria aprontar alguma coisa? Ele não parecia seguro; parecia pobre e faminto.

Ele pode ver que ela estava com muito medo e disse: “- Eu estou aqui para ajudar madame. Por que não espera no carro onde está quentinho? A propósito, meu nome é Bryan”.

Bem, tudo o que ela tinha era um pneu furado, mas, para uma senhora, era ruim o bastante.

Bryan abaixou-se, colocou o macaco e levantou o carro. Logo ele já estava trocando o pneu. Mas, ficou um tanto sujo e ainda feriu uma das mãos.

Enquanto ele apertava as porcas da roda ela abriu a janela e começou a conversar com ele. Contou que era de St. Louis e só estava de passagem por ali. Disse que não sabia como agradecer pela preciosa ajuda.

Bryan apenas sorriu, enquanto se levantava.

Ela perguntou quanto devia (qualquer quantia teria sido muito pouco para ela). Já tinha imaginado todas as terríveis coisas que poderiam ter acontecido se Bryan não tivesse parado.

Bryan não pensava em dinheiro. Aquilo não era um trabalho para ele. Gostava de ajudar quando alguém tinha necessidade. Este era seu modo de viver e nunca lhe ocorreu agir de outro modo. Ele respondeu:

“- Se realmente quiser me reembolsar, da próxima vez que encontrar alguém que precise de ajuda, dê para aquela pessoa a ajuda de que ela precisa”. E acrescentou: “… e pense em mim”. Ele esperou até que ela saísse com o carro e também se foi.

Tinha sido um dia frio e deprimido, mas ele se sentia bem, indo para casa, desaparecendo no crepúsculo.

Algumas milhas abaixo a senhora encontrou um pequeno restaurante. Ela entrou para comer alguma coisa. Era um restaurante um tanto sujo. A cena inteira era estranha para ela.

A garçonete veio até ela e trouxe-lhe uma toalha limpa para que pudesse esfregar e secar o cabelo molhado e lhe dirigiu um doce sorriso. Um sorriso que, mesmo depois de um dia inteiro de trabalho com os pés doendo, não pode apagar.

A senhora notou que a garçonete estava com quase oito meses de gravidez, mas ela não deixou a tensão e as dores mudarem sua atitude.

A senhora ficou curiosa em saber como alguém que tinha tão pouco na vida podia tratar tão bem a um estranho. Então se lembrou de Bryan.

Depois que terminou a refeição, enquanto a garçonete buscava troco para a nota de cem dólares, a senhora se retirou. Já tinha partido, quando a garçonete voltou. A garçonete ainda queria saber onde a senhora poderia ter ido quando notou algo escrito no guardanapo, sob o qual tinha mais 4 notas de cem dólares.

Havia lágrimas em seus olhos quando leu o que a senhora havia escrito.

Dizia: “Alguém me ajudou uma vez e da mesma forma eu a estou ajudando. Se você realmente quiser me reembolsar, não deixe este círculo de amor terminar em você”.

Bem. Havia mesas para limpar, açucareiros para encher e pessoas para servir. Aquela noite, quando foi para casa e deitou-se na cama, ficou pensando no dinheiro e no que a senhora deixara escrito.

Como pode aquela senhora saber o quanto ela e o marido precisavam disto?

Com o bebê para o próximo mês, como estava difícil. Ela virou-se para o preocupado marido que dormia ao lado, deu-lhe um beijo macio e sussurrou:

 

“- Tudo ficará bem, meu amor. Eu te amo Bryan”.

 

Hoje, antes de começar o seu dia lembre-se: a generosidade é contagiosa e forma um grande círculo de amor, precisamos aprender a sermos generosos assim todo o mundo será completamente reformado.

 

Conclusão

Como igreja de Jesus que deseja praticar os valores do Reino, a prática da vida solidária torna-se fundamental para colhermos frutos saudáveis no tempo próprio para a glória de Deus. Lembre-se: Fazemos parte de uma Igreja solidária porque Deus se solidarizou conosco nos amando por sua oferta graciosa e generosa na cruz.

 

Aplicação

 

Jesus desafia seus discípulos em Mc 16.15, quando disse: “Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura” o verbo ide no original tem o sentido de fazer uma viagem ou caminhar. O gerúndio nos mostra que devemos pregar enquanto caminhamos, enquanto trabalhamos, estudamos, viajamos, etc. Nesse percurso devemos responder o clamor das nações.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *