“Minha mãe nos dava pimentas vermelhas antes de irmos dormir”, disse Samuel, recordando sua infância difícil na África subsaariana. “Bebíamos água para refrescar a boca, e nos sentíamos saciados, mas não era bom.”

Uma convulsão no governo havia obrigado o pai dele a fugir para salvar sua vida, deixando a mãe como a única provedora da família. Depois, seu irmão contraiu anemia falciforme e eles não podiam pagar por atendimento médico. A mãe os levava à igreja, o que não significava muito para Samuel. Como Deus podia permitir que nossa família sofresse assim?, ele questionava.

Certo dia, um homem soube da situação deles, conseguiu o remédio essencial e lhes levou. “No domingo iremos à igreja deste homem”, anunciou sua mãe. Imediatamente, Samuel sentiu algo diferente sobre esta igreja. Eles celebravam o seu relacionamento com Jesus vivendo o Seu amor.

Isso foi há três décadas. Hoje nesta parte do mundo, Samuel fundou mais de 20 igrejas, uma grande escola e um orfanato. Ele está continuando o legado da religião verdadeira ensinada por Tiago, irmão de Jesus, que nos instou a não apenas ouvirmos a Palavra, mas praticá-la (Tiago 1:22). “A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações…” (v.27).

Não há como saber o que pode fazer um simples ato de bondade praticado em nome de Jesus.